Vamos vacinar nossos Pets?
9 de abril de 2019
Doutor dos animais
9 de maio de 2019

Como os exames complementares auxiliam a medicina veterinária?

A DIVULGAÇÃO importância dos animais na vida das pessoas se revela no dia a dia de todos nós. Por isso, preservar a saúde deles faz-se cada vez mais necessário – e a medicina veterinária é nossa grande aliada. Dentro desse contexto, hoje falaremos dos exames complementares, uma ferramenta de extrema utilidade na prevenção, controle e tratamento das doenças.

Muito mais que números, desenhos ou imagens, os exames são determinantes para a resolução dos problemas que afetam nossos pets.

Os principais exames complementares conhecidos hoje são os laboratoriais ou de sangue e os exames de diagnóstico por imagem, como o raio-x, a ultrassonografia e a endoscopia, entre outros. Nas próximas semanas, falaremos um pouco de cada um. Hoje abordaremos os exames laboratoriais.

Já não existe qualquer dúvida sobre os inúmeros benefícios que um bom exame laboratorial proporciona à prática clínica, ao apoio no diagnóstico e ao acompanhamento dos pacientes. Os exames de sangue básicos são rotina em clínicas veterinárias, seja para auxiliar no diagnóstico de uma doença, ou para uma avaliação pré-cirúrgica. Além disso, é recomendável que os animais passem por exames de rotina, pelo menos, 1 vez ao ano, tais como hemograma, urinálise, funções renais e hepáticas, colesterol e glicemia. Com esses testes, é possível detectar, de forma precoce, algumas das alterações mais comuns.

O hemograma é um exemplo de exame de triagem que permite avaliar vários componentes do sangue e, assim, diagnosticar anemias, infecções, inflamações, viroses, além de doenças causadas por parasitas sanguíneos, como a babesiose e a ehrlichiose, conhecidas como “doenças do carrapato”. Já os exames de urina permitem avaliar alguns distúrbios do sistema urinário, como doenças renais ou cistites, além de auxiliar no diagnóstico de outras doenças extrarrenais, como, por exemplo, doenças hepáticas e a diabetes.

Exames mais complexos para detecção rápida de doenças como cinomose, parvovirose, fiv e Felv, biopsias de tumores, exames histopatológicos, citologias e avaliação do líquor do canal medular também já são uma realidade e a preços acessíveis nos dias de hoje. Não podemos nos esquecer, ainda, de testes, que ajudam no diagnóstico de doenças autoimunes ou desordens hormonais, como hipotireoidismo ou, novamente, diabetes.

São várias as possibilidades na medicina veterinária e, graças a esses e outros exames, é possível diagnosticar, a tempo, qualquer anormalidade, aumentando as chances do sucesso do tratamento.

VETERINÁRIOS
Agendar via WhatsApp